Painel do Cliente Novo Cadastro

Atendimento

Atendimento

55 3322-5694

Baixar Catálogo

Baixar

Catálogo

Meus Pedidos

Meus

Pedidos

Minha Conta

Minha

Conta

Seja uma Revenda

Seja uma

Revenda

Rede Shop Rural Ordenhadeira Ordenha Rede Shop Rural Ordenhadeira Ordenha
MenuMenu

Painel do Cliente

Conjunto de Ordenha
Depósito de Vácuo
Kit Instalação de Ordenha
Medidor de Leite
Ordenha 1 vaca por vez
Ordenha até 2 vacas por vez
Ordenha até 3 vacas por vez
Ordenha até 4 vacas por vez
Ordenha até 5 vacas por vez
Ordenhadeira Canalizada
Ordenhadeira Completa
Ordenhadeira Movel
Unidades de Vácuo
Correias
Esticadores de Correia
Oleo
Peças de Borracha
Peças para Vácuo
Pulsadores e Peças
Reguladores de Vácuo
Transferidor
Bombas de transferência
Bombas de vácuo
Contactoras
Disjuntores
Motores Alta Rotação
Motores Baixa Rotação
Palhetas
Polias em Alumínio
Polias em Ferro
Retentores
Rolamentos
Selos Mecânicos
Base para Coletores de Leite
Capas de Teteira
Peças para Coletores
Tampas de Coletores
Válvulas TIP TOP
Jardim
Mangueiras Espiral
Mangueiras para Ordenha
INABOR
prime
Teteira de Borracha Prime
Teteira em Borracha
Teteira em Silicone
Teteira Importada
Teteira Triangular
Aplicadores
Aquecedores Solares/Elétricos
Escovas
Filtros
Lavador e Peças
Placas Solares
Produtos Químicos
Resistência
Eletrificadores
Veterinária
Abraçadeiras
Abraçadeiras Rosca sem fim
Botas
Equipamentos de Aferição
Ferramentas
Laticínios
Mochadores
Peças Caminhão
Peças em PVC
Transformadores

Leite brasileiro entra no radar de empresas do exterior

Publicada em 12 de Junho 2019.

Leite brasileiro entra no radar de empresas do exterior

China e Índia vão abrir um bom caminho para dois produtos brasileiros nos próximos anos: leite e carne suína. Urbanização e mais consumidores nas cidades vão elevar a demanda interna nesses gigantes populacionais. A avaliação é de Thomas Domhoff, presidente-executivo da Castrolanda Cooperativa Agroindustrial. O Brasil, por ora, é pouco competitivo no leite, mas ele crê que a produtividade vá subir, aumentando o potencial de exportação.

No caso dos suínos, essa evolução é certa devido às dificuldades sanitárias da China. A peste suína africana, que começou a afetar o país asiático em 2018, provocará ruptura na produção e na oferta interna de carnes no país asiático por pelo menos dez anos. No caso do leite, Domhoff acredita que é possível alta de produção em todas as regiões, mesmo nas mais quentes. O ganho de produtividade dos principais polos atuais se espalhará para outras regiões.

Em Campos Gerais (PR), área de colonização centenária de produtores vindos da Holanda, a expansão da produção é de 8% a 10% ao ano. A produtividade média diária de leite por vaca atinge de 28 a 35 litros nas cooperativas Frísia, Castrolanda e Capal. Em três anos, esse patamar deverá estar próximo dos 50 litros, acredita Domhoff.

A Unium, marca institucional dessas cooperativas, se prepara para a industrialização diária de um volume de leite superior aos 3,4 milhões atuais. Aumento de plantel e da produtividade é a chave para essa evolução.

O presidente-executivo da Castrolanda diz que o Brasil tem condições de avançar por meio da criação de modelos e de absorção de tecnologias. Mas o país ainda tem uma dificuldade grande em assimilar as novas tecnologias externas devido às barreiras de comunicação. Por não falar inglês, o produtor viaja pouco e, quando viaja, o aproveitamento é pequeno. Para derrubar as barreiras da comunicação e, consequentemente, a dificuldade na compreensão de novas tecnologias, a cooperativa terá uma universidade corporativa.

Essa comunicação com o exterior é importante, na avaliação de Domhoff, porque grandes empresas do exterior, tanto da China como da Índia e da Europa, começam a se interessar pelo país. Um aumento da produção média nacional, hoje abaixo de 10 litros, para 30 deixaria o Brasil em uma situação confortável no mercado externo.

As vendas externas também estão na meta das três cooperativas, que industrializam lácteos, grãos e proteína animal. Vão aumentar a oferta de produtos processados para o mercado interno e buscar o externo. Em três anos poderemos ter “algo mais sério no exterior para o leite”, diz.

A Unium comercializa apenas de 3% a 7% de seus produtos no varejo. O restante são negócios “B2B” (de empresa para empresa).

Essas cooperativas esperam também aproveitar o bom momento do mercado de suínos. A queda de produção na China vai provocar alta na demanda e nos preços. Mesmo quem não fizer vendas diretas para os chineses se aproveitará, em outros países, do vácuo deixado pelos exportadores para a China.

Domhoff acredita no potencial brasileiro do agronegócio, principalmente no leite, porque o país é um dos poucos onde ainda há sucessão familiar e interesse dos jovens pelos negócios do campo.

Esse processo exige, porém, investimentos em sanidade animal, em aumento de volume produzido, em melhoria na qualidade da carne, que passa até por uma mudança no padrão da ração, e na gestão. Esta não apenas com relação aos negócios mas também com o trato dos animais.

 

Fonte:https://www.milkpoint.com.br/noticias-e-mercado/giro-noticias/leite-brasileiro-entra-no-radar-de-empresas-do-exterior-diz-executivo-214504/ 

Leia mais

Como fica o mercado leiteiro para Outubro

Como fica o mercado leiteiro para Outubro

Como aumentar a produtividade leiteira

Como aumentar a produtividade leiteira

Cresce a produção global de leite

Cresce a produção global de leite

Futuro dos lácteos no Brasil: como será após a pandemia?

Futuro dos lácteos no Brasil: como será após a pandemia?

Novo recorde no preço do leite

Novo recorde no preço do leite

Tendência de alta no preço do leite vai continuar

Tendência de alta no preço do leite vai continuar

Vamos nos preparar para exportar leite

Vamos nos preparar para exportar leite

Mercado de lácteos segue aquecido neste mês

Mercado de lácteos segue aquecido neste mês

Santa Catarina é o 4º maior produtor de leite no ranking nacional

Santa Catarina é o 4º maior produtor de leite no ranking nacional

Produção de leite: orgulho para o produtor

Produção de leite: orgulho para o produtor

Pagamento

Cartões de Crédito e Débito, Depósito e Boleto.
Trabalhamos com PagSeguro

Segurança

Site certificado em uma das
maiores autoridades do mundo

*No cartão de crédito. Ofertas válidas até o término de nossos estoques. Vendas sujeitas a análise e confirmação de dados.
Preços e condições de pagamento exclusivos para compras via internet. Imagens ilustrativas.
RS RURAL DISTRIBUIDORA LTDA ME - CNPJ: 23.816.237/0001­40.
Travessa Maria Aldina Zago, 1566 - Bairro: Brum - CEP 98035-265 - Cruz Alta - RS.
Contato: contato@redeshoprural.com.br ou (55) 3322-5694.
© 2017-2020 Rede Shop Rural
Rede Shop Rural - Distribuidora de peças de ordenhadeira e equipamentos
Loja desenvolvida pela Netface