Painel do Cliente Novo Cadastro

Atendimento

Atendimento

55 3322-5694

Baixar Catálogo

Baixar

Catálogo

Meus Pedidos

Meus

Pedidos

Minha Conta

Minha

Conta

Seja uma Revenda

Seja uma

Revenda

Rede Shop Rural Ordenhadeira Ordenha Rede Shop Rural Ordenhadeira Ordenha
MenuMenu

Painel do Cliente

Conjunto de Ordenha
Depósito de Vácuo
Kit Instalação de Ordenha
Medidor de Leite
Ordenha 1 vaca por vez
Ordenha até 2 vacas por vez
Ordenha até 3 vacas por vez
Ordenha até 4 vacas por vez
Ordenha até 5 vacas por vez
Ordenhadeira Canalizada
Ordenhadeira Completa
Ordenhadeira Movel
Unidades de Vácuo
Correias
Esticadores de Correia
Oleo
Peças de Borracha
Peças para Vácuo
Pulsadores e Peças
Reguladores de Vácuo
Transferidor
Bombas de transferência
Bombas de vácuo
Contactoras
Disjuntores
Motores Alta Rotação
Motores Baixa Rotação
Palhetas
Polias em Alumínio
Polias em Ferro
Retentores
Rolamentos
Selos Mecânicos
Base para Coletores de Leite
Capas de Teteira
Peças para Coletores
Tampas de Coletores
Válvulas TIP TOP
Jardim
Mangueiras Espiral
Mangueiras para Ordenha
INABOR
prime
Teteira de Borracha Prime
Teteira em Borracha
Teteira em Silicone
Teteira Importada
Teteira Triangular
Aplicadores
Aquecedores Solares/Elétricos
Escovas
Filtros
Lavador e Peças
Placas Solares
Produtos Químicos
Resistência
Eletrificadores
Veterinária
Abraçadeiras
Abraçadeiras Rosca sem fim
Botas
Equipamentos de Aferição
Ferramentas
Laticínios
Mochadores
Peças Caminhão
Peças em PVC
Transformadores

Como tratar vacas leiteiras durante o período de transição

Publicada em 24 de Janeiro 2019.

Como tratar vacas leiteiras durante o período de transição

O pré-parto é o estágio de maior demanda de nutrientes para a síntese de colostro

O período de transição – intervalo que corresponde a três semanas antes e três semanas após o parto de um animal –, é considerado um dos momentos mais importantes e críticos durante o ciclo produtivo, uma vez que os animais passam por diversas alterações metabólicas e fisiológicas, preparando-se para a futura lactação.

De acordo com a analista técnico e comercial da Quimtia Brasil, Lidiane Maciel, empresa especializada na fabricação de insumos para nutrição animal, no caso das vacas, por exemplo, o pré-parto é um período de grande atenção. Segundo ela, é o estágio de maior demanda de nutrientes para a síntese de colostro, leite e primordial para que ocorra regeneração da glândula mamária. “É a fase em que poderá garantir que se alcance o máximo potencial produtivo”, diz Lidiane.

Ela explica ainda que durante essa etapa de transição há aumento das exigências energéticas e declínio no consumo alimentar dos animais. “Desta forma, deve-se monitorar o escore de condição corporal que pode variar de 1 a 5, sendo que vacas muito magras são classificadas como um (01) e vacas muito gordas como cinco (05)”, complementa.

“Em situações onde as vacas estão com escore elevado (superior ou igual a 4,0), os animais tendem a ter maior queda de consumo alimentar, além de maior probabilidade de apresentarem problemas durante o parto e doenças metabólicas, como cetose, febre do leite, deslocamento do abomaso e falhas reprodutivas no pós-parto. “O mesmo pode ocorrer com vacas com escore muito baixo, pois é no terço final da gestação que ocorre 80% do crescimento fetal, sobrando assim, pouca proteína e energia para recuperação do peso”, acrescenta Lidiane. Para a especialista, a recomendação é que os animais estejam com um escore entre 3,0 a 3,75 no momento do parto”, comenta.

Para chegar a um peso ideal e garantir uma produção animal de excelência também neste período [o de transição], a alimentação adequada é um ponto crucial. Segundo a analista, a adoção de um balanceamento de nutrientes na dieta do pré-parto, também auxiliam na prevenção das doenças metabólicas durante o pós-parto.

“A recomendação atende a uma dieta com maior concentração de cálcio e com Diferença Catiônica-Aniônica da Dieta (DCAD) negativa, ou seja, é importante fornecer sais aniônicos ao núcleo mineral (principalmente cloro e enxofre), que tendem a acidificar o pH sanguíneo e consequentemente reduzir a incidência de febre do leite”, aconselha.

Ela afirma também que outro manejo de grande importância nesta etapa é substituir alimentos com teores de potássio elevado, como as leguminosas, remover fontes de cátions – bicarbonato de sódio –, limitar o consumo de concentrado de 0,5 a 1,0% PV e garantir o fornecimento de silagem de ótima qualidade.

“Após o parto as vacas tendem a aumentar a quantidade de produção de ácidos, devido a maior ingestão de concentrado da dieta, portanto é primordial que seja fornecido uma dieta com DCAD positivo, para que ocorra o tamponamento do sangue. Portanto é importante que sejam formuladas dietas a base de forragens de alta qualidade associadas a concentrados que evitem a ocorrência de acidose ruminal, mantenha a produtividade e a saúde do animal”, finaliza.

 

Fonte: http://www.portaldbo.com.br/como-tratar-vacas-leiteiras-durante-o-periodo-de-transicao/ 

Leia mais

Como fica o mercado leiteiro para Outubro

Como fica o mercado leiteiro para Outubro

Como aumentar a produtividade leiteira

Como aumentar a produtividade leiteira

Cresce a produção global de leite

Cresce a produção global de leite

Futuro dos lácteos no Brasil: como será após a pandemia?

Futuro dos lácteos no Brasil: como será após a pandemia?

Novo recorde no preço do leite

Novo recorde no preço do leite

Tendência de alta no preço do leite vai continuar

Tendência de alta no preço do leite vai continuar

Vamos nos preparar para exportar leite

Vamos nos preparar para exportar leite

Mercado de lácteos segue aquecido neste mês

Mercado de lácteos segue aquecido neste mês

Santa Catarina é o 4º maior produtor de leite no ranking nacional

Santa Catarina é o 4º maior produtor de leite no ranking nacional

Produção de leite: orgulho para o produtor

Produção de leite: orgulho para o produtor

Pagamento

Cartões de Crédito e Débito, Depósito e Boleto.
Trabalhamos com PagSeguro

Segurança

Site certificado em uma das
maiores autoridades do mundo

*No cartão de crédito. Ofertas válidas até o término de nossos estoques. Vendas sujeitas a análise e confirmação de dados.
Preços e condições de pagamento exclusivos para compras via internet. Imagens ilustrativas.
RS RURAL DISTRIBUIDORA LTDA ME - CNPJ: 23.816.237/0001­40.
Travessa Maria Aldina Zago, 1566 - Bairro: Brum - CEP 98035-265 - Cruz Alta - RS.
Contato: contato@redeshoprural.com.br ou (55) 3322-5694.
© 2017-2020 Rede Shop Rural
Rede Shop Rural - Distribuidora de peças de ordenhadeira e equipamentos
Loja desenvolvida pela Netface